Era uma vez um mercado de refrigerantes de cola.

Alguns consumidores, sedentos, conseguiam matar a sede. A maioria do mercado, porém, continuava com a garganta seca.

Havia uma série de refrigerantes a servir tal mercado. Muitas tubaínas, mas poucas colas – o refrigerante realmente capaz de vencer a sede.

Daí, a PSDB-cola assumiu a liderança do mercado. Mas muitos continuavam sedentos. e os rivais d PSDB-cola, reunidos na PT-cola, perguntavam ao mercado: qual a eficácia da PSDB-cola? Olha só como tem gente com sede aí! A PSDB-cola num dava bola.

Até que o mercado virou e a PT-cola assumiu sua liderança. E, ao aplicar suas estratégicas de mercado, marketing, distribuição, logística e preços, começou a matar a sede de muito mais gente: o mercado de consumo aumentara!

A PSDB-cola, vendo que o mercado não só consumia como estava a adotar certa simpatia pela PT-cola, resolveu adotar estratégias outras de desfidelização de clientes. começava a distribuir imprensa afora estudos de cientistas britânicos comprovando que a PT-cola possuía em sua fórmula componentes de corrupção cancerígenos, que muito mal faziam à população. Um dos diretores do pool de empresas não-lideres de mercado chegou até a comentar que nunca se viu na história deste mercado tamanha quantidade de produtos cancerígenos.

Daí, a PT-cola apresentou ao mercado a fórmula da PSDB-cola. e o mercado viu que produtos igualmente cancerígenos faziam parte da fórmula da PSDB-cola.

Ainda assim, o mercado vive sob uma terrível suspeita de que todo mundo é (ou vai ser, ou já foi) doente.

Mas o grosso dos consumidores de cola, que nunca antes na história deste mercado tiveream sua sede saciada, estão satisfeitos. E fecharam com a PT-cola, a despeito dos alertas de que isso faz mal à saúde. “Vamos todos morrer mesmo, pelo menos com a PT-cola a gente morre sem sede”, é o raciocínio da maioria dos consumidores.

E é nesse cenário que a PSDB-cola quer voltar à liderança de mercado. Inda tem uma eco-tubaína no páreo, que agrada a muitos ex-consumidores de PSDB-cola e a outros (poucos) consumidores de PT-cola.

Tarefinha difícil essa, hein?

Espero que vocês tenham entendido minha tentativa de análise política. Espero mais ainda que vocês consigam entender que esta é a minha opinião apenas. E opinião é que nem rabo: cada um tem o seu, alguns mostram e poucos dividem. Fique à vontade para discordar.

Mas é que eu achei bonitinho traçar um paralelo no mercado de consumo…

Anúncios