Seria possível resumir tudo o que é escrito no twitter sobre o período eleitoral em 140 caracteres? Certamente, diante da enxurrada de informação que é publicada no microblog a cada dia, o primeiro impulso de qualquer pessoa sensata seria responder com um sonoro não. Porém, tentar não custa nada, especialmente quando se leva em conta a relevância dos dados tão generosamente divulgados pela internet. Segundo este escriba, generosamente até demais, tornando a informação superlativa e rasa.

Portanto, prolegômenos ( 😀 ) à parte, vamos ao que interessa. É fácil identificar um petista no Twitter. É aquele que iconiza Lizinácio, e procura pintar o hômi com as melhores tintas. e não admite que seu vizinho, também  petista, pinte o filho de dona Lindu com tintas mais reluzentes que as suas. A sensação é que um diz pro outro Meu Lula é mais bonito que o seu. Quer dizer, Lizinácio não é apenas o grande eleitor de 2010, é também o maior ícone de todo cidadão que se diz esquerdista no Brasil. Monocórdicos, portanto.

Trabalhar com superlativos, aliás, é a característica número um das manifestações dos internautas brasileiros quando o assunto é política: o excesso, a grandiloquência, o exagero desbragado.

E os tucanos no reino dos 140 caracteres? Bem, eles são superlativos – mas, paradoxalmente o são se forma extremamente simplista. É engraçado perceber o monólogo de um tuiteiro tucano. Basicamente, é pleno de ataques à candidata Dilma Roussef, que personaliza a continuidade daquilo que mais detestam, o PT no poder. No entanto, aqui também impera o simplismo, ditado pelo caráter nivelador de uma mídia que exige do usuário algo que poucos possuem, a capacidade de se expressar bem em apenas 140 caracteres. A sensação é de que a mensagem básica do tuiteiro tucano é “Minha Dilma é mais feia que a sua.”

Engraçado? Eu diria trágico se não soubesse que os meios digitais são cruéis com quem não se informa suficientemente para conseguir utilizar as mídias sociais a seu favor com alguma desenvoltura. O resultado quase sempre reproduz fielmente essa carência até mesmo de curiosidade, como a Madrasta do Texto Ruim demonstrou em um post abaixo ao dissecar o texto de um opositor do PT, que não se deu ao trabalho de confirmar se suas suposições eram verdadeiras, reproduzindo como um papagaio (e aumentando) aquilo que leu sabe-se lá onde.

Por hora, o máximo que alguém pode esperar observando atentamente as manifestações dos internautas brasileiros às vésperas das eleições é que o tempo leve as pessoas a tratarem as informações com mais cuidado, critério e atenção. Num segundo momento, quem sabe possamos assistir a manifestações um pouco mais críticas e razoáveis, mesmo em apenas 140 caracteres. Ou menos.

Anúncios